sexta-feira, 24 de maio de 2013

Conhecendo o Acervo de Artes do Banco Central - Alberto Guignard

Vaso de Flores - 1958
Óleo s/ tela
73 x 60 cm

ALBERTO GUIGNARD
Nova Friburgo, RJ, 1896
Belo Horizonte, MG, 1962
Pintor, desenhista e professor, Guignard iniciou seu aprendizado artístico na Real Academia de Belas Artes de Munique, Alemanha, onde se radicou aos 16 anos de idade com a família. Em 1920, em viagem de aperfeiçoamento, seguiu para Florença. A seguir, estagiou na Suiça e na Itália. Ao retornar ao Brasil, em 1929, passou a lecionar na Fundação Osório e no Instituto de Belas Artes do Rio de Janeiro. A convite do então prefeito Juscelino Kubitschek, fundou a Escola de Belas Artes de Belo Horizonte, em 1944, onde permaneceu por 19 anos. Os métodos aplicados por Guignard causaram grande repercussão, atraindo muitos alunos, hoje artistas consagrados, que ansiavam por uma linguagem anticonvencional, provocando reações bruscas por parte dos professores e alunos que ainda estavam arraigados aos moldes acadêmicos já ultrapassados.

No Brasil expôs diversas vezes, obtendo várias premiações, dentre elas o prêmio Viagem ao País, em 1944. Em 1927, entrou para o Salon d?Automme e, em 1928, para o Salon des Independents de Paris e para a Bienal de Veneza. A conotação poética e imaginária é uma característica marcante nas obras do artista. A este lirismo a crítica se refere dizendo que Guignard fugiu à lógica do espaço e do tempo, desligando objetos, seres e cidades de sua realidade física e material.

 Ao compor "Vaso de Flores", Guignard ressaltou o primeiro plano com cores quentes, esboçando ao fundo uma paisagem de cromatismo suave e diluído, que confere a este trabalho uma impressão de volatilidade. fonte:bcb

Nenhum comentário:

Postar um comentário