segunda-feira, 15 de abril de 2013

AAMV 10Anos - A HISTÓRIA DE UMA MARCA


RESGATE DA HISTÓRIA DA AAMV
A Associação Amigos do Museu de Valores usa uma logomarca que resgata parte da história do Museu de Valores do Banco Central do Brasil.
A marca do espaço desenvolvida para o Museu de Valores fazia parte da sua programação visual, à época de sua inauguração, em 31 de agosto de 1972, prédio da antiga sede da Caixa de Amortização - Avenida Rio Branco 30, no Rio de Janeiro. 
Folder distribuído em 1972
A logomarca foi desenvolvida pelo Professor Aloísio Magalhães, pioneiro e referência do design nacional, responsável, também, pela criação do padrão visual da família de cédulas do "Cruzeiro", que vigorou de 1970 a 1986 e da marca do Banco Central.  
Aloísio Magalhães - " A solução visual do símbolo é a caracterização
das letras M e V manuscritas em grafismo típicos da máquina de Guiloche, que
executa rosáceas e vários outros elementos de segurança aplicados em valores expressos"
Com a adoção de padrão visual único para o Banco Central do Brasil, em 1975, a logomarca desenvolvida originalmente para o Museu de Valores caiu em desuso e no esquecimento.
Em meados de 2003, na gestão da diretoria fundadora da AAMV, os dirigentes Denir Mendes Miranda e Paulo Amauri de Oliveira Mello manuseando arquivos e papéis do Museu de Valores encontraram documentos referentes à criação da logomarca.
Constataram que a solução visual era totalmente aplicável para os interesses culturais e administrativos da  Associação, imediatamente elaboraram um processo de solicitação de uso da marca junto aos detentores dos direitos de imagem.
Tanto o Banco Central do Brasil quanto o escritório de arquitetura que cuida dos direitos autorais do Professor Aloísio Magalhães concordaram na cessão de uso da logomarca pela Associação.
Autorização de uso da logomarca
Emissão da PVDI Design, de 16 de junho de 2003
Para melhor visualização clique na imagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário