quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Mário de Andrade - 500 Mil Cruzeiros - Iconografia de uma cédula

A cédula de 500 000 cruzeiros teve um período curto de circulação de 29 de novembro de 1993 a 15 de setembro de 1994. Essa mesma estampa circulou com o padrão monetário corrigido por carimbo de valor facial de 500 Cruzeiros Reais.

O tema da cédula é dedicado a Mário de Andrade (1893-1945), o notável romancista, poeta, ensaísta, crítico, contista, cronista, teórico de arte e musicólogo.

Em seqüência às comemorações (1992) dos 70 anos da "Semana de Arte Moderna" - marco inicial da chamada Revolução Modernista no Brasil, é significativo que em 1993 se celebre o centenário de nascimento do intelectual que é considerado a figura mais influente da cultura brasileira neste século.
A nova cédula apresenta elementos expressivos da vida e da obra do homenageado. 

No Anverso vemos a efígie do escritor, tendo à esquerda desenho inspirado em fotografia batida pelo homenageado e por ele intitulada "Sombra minha". 
Acompanhada pelo último verso do conhecido poema "Eu sou trezentos...", a composição constitui referência à variada e influente presença de Mário de Andrade não só na criação literária como em praticamente toda a vida cultural brasileira nos últimos 70 anos.

Muiraquitã
À direita, acima das microchancelas, a coincidência perfeita da impressão em ofsete do anverso e do reverso (elemento de segurança) é marcada pela figura de um muiraquitã, amuleto zoomorfo talhado em pedra que, característico do folclore  da região amazônica, representa referência central ao longo da trama rapsódica que constitui a obra mais conhecida de Mário de Andrade ("Macunaíma"), além de simbolizar o vínculo do imaginário brasileiro com a natureza tropical.

Ainda no anverso, são impressas em calcografia as legendas indicativas do valor, o nome do órgão emissor, o nome do homenageado e a inscrição "Deus seja louvado". Uma imagem latente, com a inscrição "BC", está gravada na composição de dois losangos que se destacam à esquerda da efígie, tornando-se legível quando colocada a nota sob determinado ângulo visual. A numeração da cédula, as microchancelas e os nomes dos cargos correspondentes são impressos em tipografia.
Anverso da cédula de 500.000 Mil Cruzeiros
Formato 140 x 65 mm - Impressor Casa da Moeda do Brasil

Os fundos em ofsete apresentam uma combinação de losangos (trama arlequinal) lembrando o tema que, além de ter sido utilizado para ilustrar a capa da edição original de um dos principais livros publicados pelo escritor, constitui imagem a que recorreu com freqüência em sua obra literária.


Edifício Martinelli
No reverso, um painel calcográfico apresenta Mário de Andrade  conversando com crianças, como referência ao trabalho do propagador de cultura, entusiasta das coisas brasileiras e batalhador pela educação infantil. A cena é ladeada pela representação de prédios simbolizantes do crescimento vertiginoso que caracterizou a cidade de São Paulo em sua época, com destaque para o edifício Martinelli, arrojado marco de seu tempo.
Acima, também como referência à sua obra, aos símbolos urbanos contrapõe-se uma representação de floresta natural.
Ainda no reverso, os fundos em ofsete que aparecem circundando as imagens centrais baseiam-se na representação de notações musicais, em referência a sua notável obra de musicólogo. Constituem elementos de proteção contra falsificações, além da impressão calcográfica e do papel especial com fibras coloridas esparsas e marca d'água, as microimpressões, a imagem latente referida, nuanças de cores e os fundos especiais em ofsete produzidos em computação gráfica. Estes incluem variada estrutura de mosaico, formada por linhas multidirecionais, que colorem a cédula. A marca d'água representa a efígie da República. Carmim, azul e marrom são as cores predominantes.

Arte / Designer - Júlio Pereira Guimarães e Experidião Marcelo M da Fonseca são os autores gráficos, desenvolvido em trabalho integrado com os técnicos do Departamento do Meio Circulante do Banco Central. As gravura manuais são de Zélio Bruno da Trindade (anverso) e Czeslaw Slania (reverso).

Folder distribuído à época do lançamento da cédula 1993
Reverso
fonte: BCB, Folder 500 a cédula de mil cruzeiros

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir