terça-feira, 21 de junho de 2011

Caixa de Conversão

Em 1906, institui-se a Caixa de Conversão, com a finalidade de estabilizar a taxa cambial e controlar a crise no mercado de café. Este Produto, base da economia brasileira por tempo considerável, desde 1896, apresentava sinais de desequilíbrio, devido à superprodução, que provocava declínio de preços e formação de estoques invendáveis.
Brasil, cédula de 1 conto de réis (1:000$000 réis), 1907
A direita, Afonso Augusto Moreira Pena (Presidente da República 1906-1909)
 As cédulas da Caixa, chamados de papéis-ouro, conversíveis, eram garantidas por lastro formado por moedas de ouro nacionais ou estrangeiras.
Estabeleceu-se, assim, a ciculação de duas espécies de papel-moeda governamental: o inconversível do Tesouro e o conversível da Caixa.
As emissões de cédulas da Caixa de Conversão foram encerradas em 1913, as notas deixaram de ser trocadas em 1914, devido à I Guerra Mundial, retornando o seu resgate com ágio no período de 1928 até 1931, quando todas elas perderam o valor.
A Caixa de Conversão deu bons resultados até 1914, enquanto durou o depósito metálico acumulado para estabilizar o câmbio da moeda brasileira, as suas atividades foram encerradas em 1920.
Reverso da cédula de 1 conto de réis
Imagem do prédio da Caixa de Conversão
fonte: Cédula do Acervo do Museu de Valores
           Banco Central do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário