sexta-feira, 17 de junho de 2011

960 réis - Patacões

Carimbo de 960 réis sobre
moeda espanhola de 8 reales
A vinda da Corte Portuguesa para o Rio de Janeiro, em 1808, constituída de cerca de quinze mil pessoas com costumes diferentes daqueles da população colonial, exigiu que se tomasse sérias medidas para fazer face às despesas e para aumentar a renda da Colônia, agora sede do governo português.

Recunho de 960 réis sobre
moeda espanhola de  8 reales
O meio circulante do Brasil, constituía-se, então, em grande parte, de moedas espanholas de 8 reales. Necessitando de fundos, D. João determinou a carimbagem dessas moedas, adquiridas por 700/800 réis, aumentando-lhes o valor para 960 réis. A partir de 1810, esses valores passam a ser cunhados em discos próprios ou recunhados sobre 8 reales.

Essas peças, equivalentes a 3 patacas, foram denominadas de patacões. O termo  "patacão" vem de "pataca", antiga moeda de prata de 320 réis que existia no Brasil desde 1695.
Os patacões cunhados em discos próprios ou virgens, não usando moeda-base, foram feitos na Casa da Moeda do Rio de Janeiro de 1832 a 1834 e correspondem a uma pequena parcela do total de 22,5 milhões de moedas produzidas.
Reverso e Anverso
Patacão cunhado em disco próprio, prata - 1834
fonte:  Moedas da Coleção do Museu de Valores
            Banco Central do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário